Powered by Blogger.
RSS

Possibilities (poema a duas mãos)

I fill the space
between now and tomorrow
with thoughts from yesterday

Haunted by the past
I will not find
 
the path to the future

In the stone are engraved
memories for tomorrow
of what I could have been


But the wind is stronger 
Than stone
It brings me news of possibilities

Hidden they have been
In the mist concealed
Finally they appear

I cannot foresee the future
But I feel it is coming
A new one

Noiselessly approaching
As a dyed boon
Finally accepted


Embraced
In my rendered arms
Promise of happiness

Escrita a duas mãos, 
Dulce Morais e Isa Lisboa

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

8 comments:

Cris Campos said...

Dulce e Isa,

Não sei exatamente dizer porquê mas este lindo poema me trouxe esperança. Lindo minhas queridas! Gr. bj pra vcs!

Dulce Morais said...

Ainda bem, querida Cris!
Fico feliz que assim seja!
Muito obrigada!
Bjs

=> Crazy 40 Blog
=> Pense fora da caixa
=> Tubo de Ensaio
=> MeNiNoSeMJuIz®

Isa Lisboa said...

Cris, fico muito contente por isso, porque a esperança é uma das melhores coisas do mundo!
Obrigada!

Bjs

Isa Lisboa
=> Instantâneos a preto e branco
=> Os dias em que olho o Mundo
=> Pense fora da caixa
=> Tubo de ensaio

Renato Ramos said...

Muito bonito, a esperança de que amanhã seja o inicio para a felicidade que se instalará em todos os outros amanhãs que virão. Tomara.

Leonardo Marioto said...

Parabéns as duas meninas!!! :)

claudia cavalcanti said...

We have wings, sure. With them it is possible to transport us through time. Wonderful,I like it very much, congratulations Dulce and Isa, kissesssss

Alexandre Cimatti said...

Nunca fiz um texto a quatro, ou mais, mãos. O resultado ficou muito bom. Depois, gostaria de saber como o poema foi construído.

Dulce Morais said...

Alexandre,
Nasceu de uma vontade de partilhar algo. Uma ideia apontada num caderno e nunca desenvolvida, enviada por mensagem no Facebook quase a meio da noite.
E, de forma quase espontânea, uma ideia de resposta surgiu. E então verso a verso, resposta a resposta, se fez um poema, escrito entre mensagens que viajaram pela internet. Ajudado pela inspiração da quase madrugada, talvez.

Isa Lisboa e Dulce Morais (resposta escrita a duas mãos)

Post a Comment

Publicações populares