Powered by Blogger.
RSS

Desafio – Tronco



© Dulce Morais 


Desafio – Tronco

Os autores do Tubo de Ensaio – Laboratório das Artes apresentam a primeira publicação de inspiração comum. 

No intuito de incentivar a criatividade, os nossos autores foram colocados perante o desafio de escrever um texto inspirado por uma imagem. 15 dos nossos autores participaram neste desafio.

Segue a participação de cada um.

Boa leitura!



¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸






Musgo

Musgo que parasita
na arvore ainda não
florida.

Musgo que quer aconchego,
pelo seu desespero,
da solidão doida,
as vezes até ressentida,
de uma situação incompreendida.

Mas a Arvore é companheira,
e carregara o Musgo,
como se fosse ela mesma,
uma Algibeira.

Marco Aurelio Tisi


¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸






Tronco
 
Ao me deparar com o tronco, tudo me veio à mente.

Foi colado a ele que demos nosso primeiro beijo.

Foi abraçado a ele que lhe fiz uma dedicatória.

Foi debruçado nele que chorei quando me deixou...




Joel Garcia da Costa


¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸





Tronco

Sou um velho tronco
Os anéis denunciam-me a idade
Os limos a solidão
O vento passa nas minhas folhas
Toca-me uma melodia triste;
Traz-me à memória
Os cantos dos pássaros
O piar das crias
No seu primeiro voo;
O riso das crianças que trepavam
Os joelhos arranhados
Que não as faziam desistir.
Sou um velho tronco
Aprendi o que é chorar
Das minhas lágrimas nasceram limos;
Assim o velho tronco
Se tornou velho
Assim o velho
Se tornou só.
Isa Lisboa



¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸










Gilberto de Almeida





¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸





MINHA ÁRVORE



Sinto-me uma raiz em força.

No tronco, coberturas e derivações.

No sol,, em luz, em grandiosa presença..

Na lua em dormidas madrugadas.
Na criação que Deus me concedeu.
Sou e serei essa segurança.
ARVORE EM NOSSA ESTRADA DA VIDA.




Mochiaro


¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸





 Por    denTro a  nutrir-me um

               Rio corre e num piscar

               Olho, percebo, que por fora marcas do tempo não se evaporam

               Nua  minha alma contabiliza

               Confesso o uso da sapiência
               O que importa? Consigo ver a luminosidade e o novo colorido agregados nesta fase      













Claudiane Ferreira de Souza da Silva






¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸







Entranhas
Paralisada, mas forte...
Velha, porém sabida...
Questiono-me sobre mim, ao observa-la...
Antiga, contudo adaptável...
Fixa, todavia flexível...
Procura o que necessita, para sobreviver ...
Não tem medo dos obstáculos,
Renasce quando atingida, ou machucada...
Calada, no entanto expressa o que deseja....
Kizy Lee

¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸




UM TRONCO APENAS
Somos feitos troncos velhos
Cicatrizados pelo tempo,
Corroídos em risos sérios
E abrigo em algum momento!
Mas ao sermos cortados
Teremos a oportunidade,
E até então moldados...
E serviremos como utilidade,
Ou utensílio na vida de alguém.
Um tronco apenas.

Osny de Souza Alves

¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸




Contrastes
da vida


Do tronco de um carvalho
pulsava a seiva daquele outono,
vendo pedaços despencarem,
em flagrante abandono.

Os galhos secos tristonhos
sentiam a perda de folhas caindo,
mas se consolavam rapidinho,
ao verem o solo sorrindo.

Rosa Mattos



¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸






Tronco.

Enrugado pelo tempo
pilar da terra
trave mestra
dentro de ti pulsa a seiva
que alimenta o Mundo...

solitário
bebes  a seiva da terra
gemes com o vento
quando falas de amor...

De raíz profunda
com alma
despido
morto não serás árvore
serás tronco apodrecido...
Manuel Marques (Arroz)


¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸






O TRONCO

casca grossa
engasga
empossa
a soberba
soberana
de quem viu
anos irem
ventos nascerem
chuvas eclodirem
pessoas enlanguescerem
um pássaro pousar
outro partir
uma flor florir
na parte verde do céu...

casca grossa
veia s abertas
musgo faminto
ciclo findo

em breve te revejo
linda lindeira
numa casa burguesa
sem casca nem raiz....

Carlos Moraes



¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸




Indecifrável


Tua forma
não posso dizer,
Por tuas frestas
impossível me é.
Em teus laivos,
sei, és imprevista.
Não condenas,
nem enamoras.
Teu estado? Mutante
Tua raíz? Escondes.
Tudo ouves,
sentes.
Sempre esperas 
que ao ver-te,
a mim eu defina.

Cris Campos


¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸







Dobras


Em cada ruga
Que meu corpo desvenda
Vidas recordo







Dulce Morais




¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸¨*•.¸








  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

12 comments:

Dulce Morais said...

A todos vós, caros colegas e amigos, agradeço o entusiasmo demostrado na participação neste desafio. Poder partilhar convosco esta aventura é algo indescritível e saborosamente perfeito!
Parabéns por cada participação, pelo vosso talento, pela vossa dedicação, pela vossa incrível presença!
Abraços!

=> Crazy 40 Blog
=> Pense fora da caixa
=> Tubo de Ensaio
=> Neo Literattus
=> MeNiNoSeMJuIz®

Osny Poeta said...

A graça escrita e anotada,
tão bonita e estampada
cada autor aqui que dita,
um pouco daquilo que acredita
que deveras viu pela estrada,
parabéns ficaram excelentes!
http://osnyessenciadaalma.blogspot.com.br/
http://oeuempoesia.blogspot.com.br/
https://www.facebook.com/A.Essencia.da.Alma.Osny

Cris Campos said...

É maravilhoso descobrir o olhar de cada um sobre uma mesma paisagem. A diversificação poética aqui apresentada definitivamente me encantou! Parabéns Marco, Joel, Isa, Gil, Mochi, ClauF, ClauC, Kyze, Osny, Rosa, Manu, Carlos, IsaE e em especial a você douce douce Dulce! Bom demais estar aqui com todos vocês! Gr. Bj.!

Richard Courmayeur said...

Viva,
Felicito-vos pela iniciativa; cada um com seu estilo, a partir da mesma base, abordagens, pensamentos e visões bem diferentes!

manuel marques Arroz said...

Assim unidos,"despidos" de preconceitos seremos árvore florida em tronco forte.
Beijo para quem é de beijo,abraço para quem é de abraço.

Parabéns a todos.

danka maia said...

Excelente trabalho pessoal! Cada um em especial e a todos,simplesmente SUBLIME!
APLAUSOS!
Beijocas!

Carlos Moraes said...

ao redor desse tronco moribundo cresceu uma floresta de versos, em diversas formas e estilos, ora diversos ora convergentes olhares... à Dulce, por ter lançado à semente, a todos, por se permitirem florir... abraços

claudia cavalcanti said...

Parabéns a todos estes maravilhosos colegas do blog por seus belose sensíveis olhares debruçados sobre a imagem. Todos me ficaram marcados. Á Dulce, um especial obrigada, por proporcionar este encontro tão repleto de linda poesia. Beijo a todos no coração.

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

Um tronco, uma raiz...
quinze ramificações em um caminhar Távola Redonda.
Parabéns companheiros !

Isa Lisboa said...

Ficou excelente, o resultado deste desafio! Adorei ler-vos a todos, acho que estamos todos de parabéns!

Um grande abraço a todos!

JG Costa said...

Os poetas gastaram a pena! Parabéns para todos os envolvidos! Abraços renovados!

Gilberto de Almeida said...

Dulce, obrigado pela iniciativa e por compartilhar o produto deste trabalho criativo. Foi um momento de carinho para a alma. Amigos do "Tubo de Ensaio", foi um prazer ler seu trabalho.

Post a Comment

Publicações populares